Filme Viva – A vida é uma festa. Inspire-se!

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Nós, adultos, muitas vezes ficamos sem resposta diante dos questionamentos dos pequenos sobre a morte. O Filme Viva- A vida é uma festa aborda este tema, bastante incomum para desenhos animados, de uma forma alegre, colorida e fácil de ser compreendida pelas crianças.

Sabemos que conversar sobre o assunto morte com as crianças nem sempre é fácil. Isto porque o grau de entendimento delas ainda não é suficiente para assimilar todo o sentimento e subjetividade que o fato envolve.

Filme Viva – A vida é uma festa

O filme Viva – A vida é uma festa, traz a história de Miguel Rivera, um mexicano de 12 anos, cujo sonho é ser um músico igual ao seu ídolo Ernesto de La Cruz, falecido há uma década de maneira trágica.

Porém, a família de Miguel, formada por sapateiros desaprova seu sonho e quer que ele siga o ofício de sapateiro, que já está na família durante anos. Essa desaprovação é a origem do conflito no filme.

Para piorar a situação, no Día de Muertos (que seria Finados para nós), Miguel resolve participar de um show de calouros, que faz parte dos festejos desta data. Sim, porque para os mexicanos o dia de lembrar os mortos é motivo de festa e comemoração.

Depois de uma sequência de confusões, Miguel chega ao mundo dos mortos (mesmo estando vivo) do qual ele precisa retornar até o amanhecer sob o risco de se tornar para sempre uma caveira.

Para conseguir voltar, ele conta com ajuda do próprio De La Cruz, que mesmo morto continua sendo um astro, de Dante, um cachorro atrapalhado e de Hector, um morto que quer rever os parentes uma última vez.

O filme mostra o mundo dos mortos como sendo alegre, colorido e festivo. E Miguel aprende que alcançar o sonho tem seu preço, que a família é fundamental – seja ela como for -, e que estar morto não é o pior. O pior mesmo é ser esquecido.

A morte vista de forma lúdica

Mesmo tratando a morte de forma natural com as crianças, muitas vezes é difícil. Afinal, apesar de natural, a morte ainda é cercada por certos tabus e mistérios. Até para os adultos é difícil entender o que ocorre com o corpo físico e com a alma após a morte.

O filme Viva – A vida é uma festa é uma maneira de introduzir o assunto de maneira leve, lúdica e sem sentimentalismo para as crianças. A partir das crenças e da cultura mexicana, o assunto é trazido com muita musicalidade, cor e alegria, mostrando o local para onde as almas vão: um mundo festivo e alegre.

Talvez a maior lição, seja mostrar que a memória é o lugar onde mantemos o afeto e as lembranças. A importância de não permitirmos que aqueles que já se foram deixem de existir e, para isso, é preciso honrarmos e lembrarmos deles.

O filme resgata a importância de valores familiares, fala sobre perdas e sobre celebrar a vida.

A perenidade da vida

Hoje, os rituais em torno da morte são muito diferentes do tempo em que se cultuava o luto como uma maneira de homenagear o morto. Os velórios eram realizados em casa, acompanhados de comida e histórias a respeito de quem estava partindo, como uma maneira de relembrar sua trajetória e afirmar sua perenidade.

A memória e a noção de pertencimento familiar é o que filme quer mostrar, além de uma perspectiva de vida após a morte como uma extensão do mundo dos vivos.

É a arte trazendo ensinamentos culturais, religiosos e psicológicos de como a morte pode nos ensinar que a memória daqueles que já partiram deve ser preservada e daquilo que é essencial para preservar a vida e a história.

Gostou do artigo sobre o filme Viva – A vida é uma festa? Então compartilhe nas suas redes sociais!

Você e sua família vivendo com tranquilidade.

Já conhece nosso Plano de Assistência Funeral?
Deixe seus dados que entraremos em contato com você, para tirar suas dúvidas.

Você e sua familia vivendo com tranquilidade

Já conhece o Plano São Judas Tadeu?
Deixe seus dados que entraremos em contato com você, para tirar suas dúvidas.