Cuidados com vasos de plantas em cemitérios para evitar a dengue

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

A perda de um ente querido sempre deixa saudades e para amenizar essa dor e homenagear quem já partiu, uma forma de mostrar carinho bastante utilizada é levar flores ao cemitério. Porém, com a incidência da dengue, essa prática exige algumas ações preventivas e uma delas é o cuidado com vasos de flores ou plantas.

Cemitério e a proliferação da dengue

Os cemitérios são locais onde pode ocorrer facilmente a criação e proliferação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue e da febre chikungunya. A água parada em vasos de flores e outros objetos, principalmente nos dias mais quentes, se torna o ambiente propício para o mosquito se desenvolver.

O hábito de levar flores aos entes que já partiram pode intensificar essa possibilidade de proliferação. Por isso, é importante a consciência e cuidado de todos para soluções que evitem o acúmulo de água e, consequentemente, a formação de um criadouro para o mosquito.

Cuidados com vasos

A recomendação é não deixar recipientes, como os vasos de flores, expostos ao tempo, onde podem acumular a água da chuva. Flores com o caule cortado, necessitam ficar em um vaso com água para que conservem por mais tempo e aí se tornam um alvo fácil para a criação do mosquito.

Uma opção é levar flores ou plantas ornamentais que estejam plantadas em vasos e ainda assim, preencher os pratinhos e vasos com areia, para evitar o acúmulo de água.

Atenção também para suportes de velas, uso de descartáveis e até furos ou reentrâncias nos túmulos ou lápides. Tudo deve ser observado e evitado para que não seja objeto de água parada.

A limpeza também é um fator que tanto pode servir para evitar a criação do mosquito, quanto pode colaborar para o desenvolvimento do mesmo, depende como é realizada. É importante que tanto a administração do cemitério, quanto os usuários mantenham os túmulos limpos, mas sem deixar embalagens de produtos de limpeza soltos pelo ambiente, o que também pode se tornar um criadouro.

É importante que as equipes que fazem a manutenção do cemitério estejam atentas para eliminar possíveis objetos que possam vir a ser criadouros.

Os perigos da dengue

A incidência de dengue no Brasil é muito grande e todos os anos centenas de pessoas sofrem com a doença que é transmitida pela fêmea do mosquito Aedes aegypti. Água limpa e parada é o local propício para a colocação dos ovos do mosquito. Por isso, é tão importante evitar o acúmulo de água.

Os sintomas da dengue, muitas vezes, se confundem com o da gripe e, portanto, merecem atenção redobrada. Veja os sintomas provocados pela dengue:

  • Febre alta;

  • Dor de cabeça;

  • Dores musculares e nas articulações;

  • Dor na barriga e nos olhos;

  • Indisposição;

  • Vômito;

  • Enjoo;

  • Falta de apetite;

  • Manchas na pele.

Não existe um remédio específico para dengue. Os medicamentos apenas aliviam os sintomas e devem ser acompanhados de repouso e ingestão de líquidos.

Para evitar a proliferação do mosquito, principalmente em épocas chuvosas e quentes, a prevenção é o melhor remédio. Por isso, todos devem estar atentos em suas casas para evitar a exposição ao tempo de objetos que possam acumular água parada. Vasos de plantas devem receber areia ou borra de café para evitar que a água se acumule nos pratinhos.

O ovo do mosquito pode resistir mais de um ano sem danos e isso é mais um agravante para intensificar a incidência da doença.

É responsabilidade de todos tomar os cuidados necessários na prevenção e erradicação do mosquito da dengue, evitando assim que a doença atinja nossa população.

Se você costuma levar flores no cemitério, lembre-se destas recomendações. Gostou do texto? Compartilhe.

Você e sua familia vivendo com tranquilidade

Já conhece o Plano São Judas Tadeu?
Deixe seus dados que entraremos em contato com você, para tirar suas dúvidas.