O que dizer e o que não dizer às famílias enlutadas?

Hora triste. Aquela notícia que nunca queremos ouvir, mas que com certeza todo mundo já provou. A perda de um ente querido é um momento de vazio, sendo natural que ocorra um choque inicial, que pode se prolongar por horas ou até mesmo por vários dias e meses.

Mas, sem dúvida, os piores momentos são os primeiros quando alguns membros das famílias enlutadas podem demonstrar sentimentos que às vezes, são confundidos com frieza ou indiferença. Isso porque perante o choque, cada um reage de uma forma diferente, merecendo sempre respeito e consideração.

Por isso a solidariedade de amigos e parentes na hora do luto, principalmente em velórios, é tão importante. Não raramente conhecemos pessoas que se afastam nessa hora, dizendo que não gostam e que é um lugar triste. Pensam que um a mais não fará diferença.

A presença de cada um é notada sim. A ausência também

Mas isso é um engano. É justamente a presença de cada amigo, cada familiar, cada conhecido que ajuda a diminuir um pouco a dor com gestos, palavras de consolo e demonstrações de apego, conforto e carinho. Todo tipo de atitude nesta hora ajuda a amenizar a sensação de perda.

Diferente de outras situações, o velório é uma cerimônia fúnebre que requer toda a atenção no que falamos. Porque na tentativa de demonstrarmos pesar, às vezes, podemos cair na tentação de dizer frases feitas ou palavras desagradáveis para as famílias enlutadas. Para isso vamos lembrar algumas dicas para essas horas.

O que dizer às famílias enlutadas

  • “Sinto muito pela sua perda”, seguido por um comentário positivo sobre o falecido;
  • “Deve ser um momento muito difícil para você, mas você não está sozinho”;
  • “Sinto muito pelo seu sofrimento”;
  • “Eu posso imaginar o que você está sentindo, passei por uma situação de perda e posso imaginar o que você esta sentindo.” Porque a menos que a pessoa tenha passado pela situação de perda, este comentário pode ser percebido como superficial.
  • “Era uma pessoa muito querida”;
  • “Lembra quando….?” Fazer um comentário lembrando alguma passagem positiva. Isso ajuda muito as famílias enlutadas a dividir a memória de seu ente querido, mesmo que você não faça parte do círculo mais íntimo da família. Ao comentar algo que vivenciou positivamente ou mesmo uma passagem engraçada com aquele que partiu, você fornece um consolo ao enlutado;
  • “Estou aqui para o que for preciso”. Coloque-se à disposição para alguma ajuda;
  • “Eu sinto muito pela sua perda, meus sentimentos.” Seja sincero e sucinto. São muitas pessoas dizendo palavras de conforto, por isso a simplicidade;
  • “Você deve sentir muita falta dele”. A perda de uma pessoa querida é a causa da dor. Transmita a reciprocidade de sentimento e não tente ignorá-la. Assim confortará a pessoa enlutada.

O que não dizer às famílias enlutadas

  • “Como você está?” Essa pergunta muito comum é como se você estivesse dizendo: “Por favor, diga que está bem, porque vou me sentir muito mal se você disser que não está”. Com essa pergunta, provavelmente as pessoas das famílias enlutadas responderão que estão bem, ao invés de realmente expressar seus sentimentos de dor;
  • “Você ainda pode casar de novo” ou “você ainda pode ter outro filho”. Esses comentários não caem bem nos ouvidos de quem acaba perder um marido ou filho. As frases, mesmo tendo uma boa intenção, podem significar que o ente querido que faleceu poderá ser facilmente substituído quando, na verdade, a sensação de quem o perde é de dor irreparável;
  • “Isto acontece com todos nós em algum momento”. O fato de outros passarem pela mesma dor não ameniza  a perda que a pessoa enlutada está sofrendo naquela hora e não conforta;
  • “Ele(a) ia preferir que assim fosse”. Evite falar sobre o que possivelmente o falecido gostaria de ser feito no seu funeral ou depois dele. Isso poderia causar desentendimentos necessários entre familiares e amigos, numa hora completamente indevida;
  • “Ele(a) descansou.” Pode até fazer sentido se a pessoa tenha estado muito tempo doente, acamada e sofrendo demais antes de morrer. Mas quando a frase é repetida, automaticamente, num velório pode motivar nas famílias enlutadas a vontade de responder que “a pessoa morta não estava cansada”.

Após essas dicas do que falar e do que não falar às famílias enlutadas, reflita sobre as palavras de Osho, líder espiritual indiano: “O silêncio também fala, Fala e muito! O silêncio pode falar mesmo quando as palavras falham.”

COMENTÁRIOS