Perda de um animal de estimação: A importância do apoio

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Há muito as pessoas deixaram de ter um animal de estimação para simplesmente deixá-lo solto no quintal ou guardando a casa. Hoje eles são considerados por muitos como membros da família, recebem e doam amor e atenção como se fossem realmente filhos ou irmãos. A relação entre donos e seus pets é tão forte, que a perda de um animal de estimação pode gerar forte impacto e dor.

Quem não tem esse tipo de relacionamento com um animal pode não entender o amor e a cumplicidade envolvidos. E, portanto, às vezes, até faz pouco caso de quem sofre a perda de um animal de estimação.

Não cabe aqui julgar este tipo de relacionamento ou se o animal é ou não tratado como gente. O que importa é o significado que ele tem para seu dono e para a família. Cada pessoa tem uma forma diferente de apego e de tratamento para com o seu animal de estimação.

Alguns são a companhia que falta em casa, outros são a distração, outros a brincadeira e muitas vezes até são a terapia. Depende de como cada um se envolve emocionalmente na hora da perda de um animal de estimação.

O envolvimento com um bichinho de estimação gera inclusive alterações na rotina da casa e das pessoas. Afinal, eles exigem alimentação especial, cuidados de higiene e saúde, educação, fatores que exigem atenção e tempo de quem cuida do seu animal. A ruptura abrupta desta rotina, decorrente da perda do animal, também causa dor e sofrimento.

A dor da perda de um animal de estimação

Perder um companheiro de anos, de convívio e que se ama, invariavelmente resulta em dor e tristeza. Mesmo que esse companheiro seja um animal de estimação. Para seu dono, ele era muito importante e sua falta será sentida em forma de luto.

A causa da perda de um animal de estimação pode influenciar no grau de sofrimento. Se o animalzinho já estava doente, se foi um acidente, se precisou ser sacrificado ou se o dono presenciou a morte, ou até mesmo, se foi roubado ou fugiu. O fato da perda poder ter sido evitada, como nos casos de roubo ou fuga, pode trazer ainda mais dor e o sentimento de culpa ao dono.

Pessoas que sofrem com o luto pela perda de um animal de estimação precisam de compreensão e apoio de seu grupo de relacionamento. Da mesma forma que alguém que perdeu um ente querido necessita.

As reações relativas à perda de um animal de estimação demonstram o forte apego envolvido. O luto pela perda do bichinho iguala-se a dor da perda de uma pessoa próxima. O processo de luto é o mesmo e envolve angústia, dor e os sentimentos que surgem no momento de despedir de alguém que se ama.

Este luto pode gerar depressão, isolamento e tristeza profunda. E por isso, merecem apoio e consolo de quem está ao redor.

As crianças e a perda de um animal de estimação

No caso de crianças que sofrem com a perda de um animal de estimação da família, podem ocorrer reações de dúvida, tristeza e estranheza. Este pode ser o primeiro contato da criança com a morte. Ela pode não entender porque o seu companheiro de brincadeiras morreu.

Este pode ser o momento para ensinar as crianças a respeito da morte. Explicar que elas podem sofrer com isto e que o sentimento de tristeza pela perda deve ser respeitado, além, de deixar claro de que ela não teve culpa nenhuma no fato.

As crianças devem ter a chance de participar deste momento, despedir-se do animal se for possível, participar dos rituais que venham a existir. Este é um momento familiar importante de aprendizagem sobre convivência e que pode servir para alicerçar experiências futuras de sofrimento e perda.

Seja qual for o motivo da perda do animal de estimação, a dor e a tristeza de quem sofre com isso devem ser respeitadas e apoiadas.

Achou o texto interessante? Então compartilhe agora mesmo com seus amigos.

 

Você e sua familia vivendo com tranquilidade

Já conhece o Plano São Judas Tadeu?
Deixe seus dados que entraremos em contato com você, para tirar suas dúvidas.