Cães e o luto: Como a perda do tutor pode afetar os pets

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Muita gente não sabe, mas animais também enfrentam o luto. Quando passam pelo processo porque perderam seu dono, demonstram tristeza e sofrimento do jeito deles. Se você não sabe como lidar com a situação que envolve os cães e o luto, este artigo foi preparado especialmente pra você. 

Os cães e o luto: Processo é similar aos dos seres humanos

A perda do tutor afeta seu animal de estimação na mesma medida, ou quase, em que a morte de alguém querido impacta uma pessoa. Os bichinhos podem, por exemplo, parar de comer e entrar em depressão. Mas eles podem e devem superar essa dor. Afinal, quanto antes o sofrimento emocional for administrado, melhor!

Da mesma forma que pessoas de todas as idades, credos, raças e religiões passam pelo luto, os animais vivem as etapas causadas pela perda de alguém, independentemente da sua raça. Em pets, como cães e gatos, fica mais fácil notar e saber como agir. Mas outras espécies como os cavalos também sentem a tristeza do luto.

O vínculo dos cães com o seu tutor é muito estreito e forte. Quem tem um pet em casa sabe bem o que é isso. As emoções deles são claras e fáceis de serem observadas. Ao perder seu companheiro, o convívio é interrompido de maneira brusca e isto traz um sofrimento profundo. 

O tamanho da tristeza é diretamente proporcional ao tempo em que os dois viveram juntos. Imagine, então, um convívio de uma década ou mais.

Saiba como o animal fica ao perder um ente querido

Ao perder seu tutor, um animal de estimação apresenta a apatia comum num processo de depressão. Ele tende a ficar parado, quieto e sem vontade de brincar. Às vezes, pode passar por perda de apetite. E, em alguns casos, os pets até evitam o contato com outras pessoas. Se isolando, parece que dor incomoda menos.

O tempo necessário para a administração da relação entre os cães e o luto varia demais e depende de diversos fatores. A única certeza é que quem ficar ao lado do bichano vai perceber logo quando ele começa a melhorar e quando “sara” de vez. 

Mas o que fazer para abreviar o processo de luto do animal de estimação? 

Dar tempo ao tempo é fundamental. A recuperação vai acontecer pouco a pouco e sempre que alguém simplesmente sentar do lado do pet ou dar atenção, fazendo um carinho ou dando um agrado, como uma dose de ração a mais ou um brinquedo. Vamos ver o que mais fazer neste tipo de situação?

  • Deixe o animalzinho no seu próprio ambiente e tente manter a rotina que ele tinha antes de perder seu dono. Quanto mais ele sentir que seu dia a dia não vai mudar muito, mais alívio ele terá. Trate-o com carinho durante as atividades diárias como comer e deitar para dormir. Ele se sentirá seguro. 
  • Para que ele supere a perda em menos tempo, pode manter o cão quieto se assim ele desejar. Mas não esqueça de monitorar se está se alimentando e dormindo bem, bebendo água na quantidade certa e fazendo normalmente suas necessidades fisiológicas. 
  • Se ele não comer de jeito nenhum ou demonstrar agressividade, o ideal é levar o pet ao médico veterinário. O profissional certamente saberá o que orientar para que ele volte a se alimentar direito e talvez receite algo para ficar menos agressivo.
  • Fique atento a qualquer sinal de doenças. No processo de depressão pelo luto, a resistência dos animais cai e podem aparecer enfermidades que não apareceriam se ele estivesse junto ao dono. 

Aproveite que você se interessou pelo assunto e leia também sobre Cremação de animais: Uma opção para se despedir do seu melhor amigo!