Como lidar com os pertences de alguém que faleceu

Você já pensou em fazer uma caixa de memórias como uma bonita homenagem a quem vemos partir antes de nós? Esta é uma solução simples que ajuda a enfrentarmos o período de luto de forma mais tranquila, após cuidarmos dos pertences de alguém que faleceu.  

Por mais que a gente se prepare para a morte de um ente querido, principalmente nos casos de doenças prolongadas ou idade avançada, a partida definitiva dói na alma.

Há, também, aquelas situações em que o falecimento é inesperado. Acidentes, suicídios, incidentes, enfim fatos que fazem parte da vida nos levam a questionamentos como: “E agora, como seguir em frente sem fulano?” e “O que eu faço com tudo o que ele deixou?”. 

Estas dúvidas são tão comuns que optamos por repassar algumas dicas que podem ser úteis na hora de lidar com a dor da perda, aprofundada pela necessidade de tomar decisões a respeito dos pertences de alguém que faleceu. 

O que fazer com roupas e objetos pessoais de quem partiu antes de nós: 4 Dicas preciosas

  1. Dê tempo ao tempo      

Todo mundo precisa vivenciar um período de luto antes de sair tomando decisões importantes e dividindo ou doando os pertences da pessoa amada que morreu. Não adianta pular etapas objetivando acabar com a dor e o sofrimento de forma rápida. 

O ideal é aguardar os primeiros dias e até mesmo algumas semanas antes de tomar certas providências. Sabemos que o luto se apresenta com durações diferentes de pessoa para pessoa. Observe como isso é para você e respeite o que o seu coração mandar.       

     2. Dois ou mais pensam melhor do que um

Quando você perceber que é chegada a hora de decidir o que fazer com os pertences do ente querido que partiu, avalie quem você pode chamar para pensar junto. Certamente outros familiares poderão ajudar nesta tarefa. Se não for este o caso, tente contar com algum amigo da família em que você pode confiar. 

A emoção e os sentimentos que estão presentes nesta hora podem atrapalhar as decisões. Por isso, a recomendação de não estar sozinho ao escolher o melhor destino para os pertences da pessoa que morreu. 

Uma opinião diferente da sua, uma ideia de que já passou por isso ou até alguma história que você até então nem conhecia contribuem para acertar sobre o que fazer. 

       3. Para amenizar a saudade e homenagear simultaneamente 

O que não serve mais para você ou para outras pessoas que tinham alguma ligação com o falecido, pode ser de grande valor para desconhecidos necessitados. Hoje em dia, nada se cria, tudo se transforma. 

Busque na Internet como aproveitar melhor vestimentas, objetos pessoais, sapatos, enfeites, roupas de cama, mesa e banho, enfim peças usadas em bom estado de conservação.

Para as fotos, cartas, bilhetes, jóias ou bijuterias finas, livros, lenços, relógios, documentos pessoais e até um frasco pequeno de perfume, a caixa de memórias pode ser uma ótima saída. 

De madeira, papelão, plástico duro e com tamanhos que podem variar conforme a quantidade de bens deixados, a caixa pode ser aberta sempre que a saudade apertar. É uma forma carinhosa de homenagear quem partiu antes de nós.

      4. A dor abrindo espaço para as doces lembranças  

Se você considerar que tomar as providências cabíveis após a morte de alguém é um dos caminhos para a aceitação e superação da dor da perda, a tarefa ficará mais fácil. O local onde a pessoa vivia, seja uma casa inteira ou um quarto também precisa ser alvo de sua decisão. 

Resolva o que fazer com este espaço, tornando-o um cômodo útil para aquilo que te faz feliz. Quem sabe aquele escritório que você sempre sonhou? Ou até mesmo uma sala de leitura e música para reunir amigos queridos de modo mais confortável?

Se a dor e a tristeza são inevitáveis, os ambientes onde alguém que amávamos viveu só podem trazer boas lembranças. Pense nisso e mãos à obra!

Gostou deste artigo? Então, leia agora sobre como funciona nosso grupo de whatsapp Dor e Cura!

COMENTÁRIOS