Como devemos tratar a saudade?

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

A saudade pode ser retratada de vários modos. Ela está diretamente ligada às boas lembranças que temos de alguém, assim como a algo que está distante de nós. Às vezes ela fica difícil a ponto de nos corroer por dentro, despertando emoções que nos fazem mal e são difíceis de serem controladas.

Saiba como encarar a saudade durante o luto

No ciclo natural da vida vem a morte. Tudo nasce, cresce, vive e morre. Porém, por mais que saibamos desta realidade, o momento da partida de alguém que amamos é doloroso. Representa um período de sentimentos ambíguos que envolve aprendizado, lembranças, histórias vividas e a inevitável saudade.

A ausência de alguém que foi importante para nós em vida tende a estar cercada por um certo inconformismo e, por vezes, até pela revolta e não aceitação. Mas, as várias fases que fazem parte do luto precisam ser vivenciadas para alcançar a superação da perda.

O vazio e o legado deixados pelo ente querido, seja ele um familiar ou amigo muito próximo, podem pouco a pouco serem transformados em saudade. Esta terá um lugar especial em nosso coração, nos dando forças e resiliência para seguir em frente.

O que fazer para amenizar a dor?

Não há uma receita única e infalível que supere a dor da perda. O que há são experiências pessoais positivas que inspiram quem está passando por isso, trazendo conforto. É possível sentir a presença de quem partiu ao nosso lado, mesmo que não da forma física como foi até então.

Tentar manter viva a relação de proximidade que um dia tivemos é reconfortante. É uma forma de encontrar a paz e aliviar a saudade sem ser vinculada à dor, tristeza, melancolia, desânimo, desalento, pessimismo e abatimento.

Quando tivemos uma relação de amor e respeito com quem partiu, devemos nos concentrar nesses aspectos para amenizar a dor. Quando aprendemos a conviver com a falta, sobra a saudade gostosa que cada vez mais nos distancia do momento de despedida. E abre espaço pras alegrias dos momentos que compartilhamos com a pessoa enquanto ela viveu.

As recordações funcionam como um combustível no processo de luto. Cultivando as lembranças, todos e cada um no seu próprio ritmo, encontram motivos para ter um bom convívio com os que ficaram, seguindo em frente na jornada da vida.

Os vários significados da saudade

Apesar de muitos comentários afirmarem isso, não é verdade que saudade é uma palavra que só existe na língua portuguesa. Trata-se de um termo derivado do latim que faz parte do vocabulário de outras línguas, como o espanhol e o catalão.

Tanto é que uma das mais lindas definições sobre a saudade é de autoria de Pablo Neruda, poeta chileno considerado um dos mais importantes da língua castelhana do século XX. Ele escreveu: “saudade é solidão acompanhada. É quando o amor ainda não foi embora, mas o amado já.”

A saudade tem vários significados, sendo que todos estão relacionados à ausência. Veja alguns deles:

  • Mágoa;
  • Nostalgia;
  • Incompletude;
  • Desaparecimento;
  • Distanciamento;
  • Privação de pessoas, épocas, lugares ou coisas;
  • Desejo de se ter de voltar;
  • Lembrança afetuosa.

A importância das boas lembranças

Para entender a saudade como uma boa lembrança e se afastar da tristeza podemos cultivar os bons momentos que passamos junto à pessoa amada, tentando perdoar se algo não foi como gostaríamos que fosse.

Isso só nos faz bem porque as memórias são mais do que estímulos de células nervosas e reações. São a maneira pela qual o coração sente, interpreta, entende e experimenta o nosso mundo. Esta descrição está no livro Memória das Células, de Paul Pearsall.

Vale, ainda, a tentativa de não projetar para o futuro o que não pode mais ser vivido. Dentro de nós, mora a capacidade de vivenciar a saudade e cultivar as boas lembranças. Ela nos permite abrir novos ciclos na vida, encontros, reencontros e outros encantamentos que podem fazer da nossa vida, tempo de tranquilidade e paz. Experimente.

Afinal, a melancolia nos prende a um círculo vicioso bordado pela tristeza, angústia e dor. Enquanto a saudade boa nos proporciona uma sensação de acolhimento repleto de amor.

Agora, confira 4 indicações de livros para aceitar melhor a morte e vivenciar o luto.

Você e sua familia vivendo com tranquilidade

Já conhece o Plano São Judas Tadeu?
Deixe seus dados que entraremos em contato com você, para tirar suas dúvidas.