Por que devemos esperar 72 horas para realizar uma cremação?

A cremação é uma tradição de quase 3 mil anos e tem ganho cada vez mais adeptos atualmente. Mas você sabe por que é necessário aguardar 72 horas para realizar uma cremação? A recomendação está mais diretamente ligada à religião do que a algum aspecto legal ou técnico. Legalmente não é preciso manter este protocolo, o recomendado é aguardar pelo menos 24 horas. Sempre é primordial conversar com a família da pessoa falecida e conhecer as suas necessidades, para definir quando acontecerá a cremação.

Mesmo com um histórico milenar, a cremação foi considerada ilegal em várias épocas, principalmente por motivos religiosos. Os espíritas, por exemplo, pedem que se aguarde pelo menos 72 horas para realizar uma cremação. De acordo com eles, esse é o tempo necessário para que a alma se desvincule do corpo. 

Para os judeus, o corpo não pode ser destruído, pois a alma se separaria dele lentamente durante a decomposição. Já para católicos, evangélicos e protestantes, não há restrições rígidas.

Cremação: Desmistificando 3 pontos que sempre geram dúvidas

  1. No crematório, não há corpos empilhados no mesmo forno. Em cada equipamento cabe apenas uma urna de cada vez. E tanto fornos, quanto gavetas são limpos a cada cremação.
  2. Não há cheiro forte e nauseante durante a cremação, muito menos odor de carne assando. Cada forno é projetado com diferentes câmaras que fazem a fumaça circular. A fumaça vai se dissipando no caminho  e o que sai pela chaminé, não passa de um vapor quente;
  3. A composição das cinzas também é objeto de muitas especulações, mas o fato é que como somos feitos de 75% de água, as cinzas se resumem a ossos homogeneizados. O pó que sobra como lembrança dos restos mortais de uma pessoa cremada, geralmente pesa entre um e dois quilos. Essa quantidade refere-se a um adulto de tamanho médio.

Como funciona o processo de cremação?

O corpo é colocado em uma câmara de cremação e submetido a um calor extremo e a chamas diretas, a uma temperatura média de 1000 graus Celsius. Vale dizer que em nosso corpo não há uma única célula que aguente uma temperatura maior que mil graus.

O processo costuma levar até três horas, dependendo de fatores como peso do falecido, tipo de urna em que o corpo é colocado e a temperatura da câmara.

O calor seca o corpo, queimando a pele e o cabelo, contraindo e carbonizando os músculos, vaporizando os tecidos moles e calcificando os ossos, fazendo com que eles se desintegrem. Após estas etapas, o corpo é reduzido a restos de esqueletos, com alguns pedaços de ossos restantes.

As partes que não foram queimadas, tais como implantes e pontes, são separadas com a ajuda de um ímã capaz de capturá-las. Entenda o que acontece com prótese e marca-passo.

Afinal, por que esperar 72 horas para realizar uma cremação

Mesmo que, por recomendação religiosa, seja preciso aguardar 72 horas para realizar a cremação, a família precisa dar início a alguns procedimentos burocráticos que cercam todo esse processo.

No Brasil, a cremação é regida pela lei federal nº 6.015, de 31 de dezembro de 1973. No artigo segundo, por exemplo, estão especificadas todas as exigências legais para esse procedimento.

Cabe frisar que é necessário expressar aos familiares o desejo de ser cremado, deixando uma declaração dessa vontade por escrito e assinada, com reconhecimento em cartório. Tudo isso otimiza o processo de cremação.

É bem comum não haver essa declaração e, caso isso ocorra, a decisão caberá aos familiares de primeiro grau do falecido: cônjuges, pais, avós, filhos, netos e irmãos. A partir dessas formalizações, a família começa a providenciar os documentos necessários.

Neste momento, um aspecto importante a esclarecer é que a lei brasileira determina procedimentos diferentes para:

Morte natural

É caracterizada quando acontece devido a causas naturais como doenças, envelhecimento. Nesse caso, não há influência de fatores externos.

Morte não natural/acidental

Se dá por fatores externos, acidentes como queda, atropelamento, afogamento e homicídios, entre outros. Suicídios também se enquadram em morte não natural.

Cremação em caso de morte natural

No caso do falecimento ter sido por causas naturais, os parentes ou responsáveis devem providenciar os seguintes documentos para a realizar a cremação:

  • Atestado de óbito assinado por dois médicos;
  • Autorização de cremação devidamente preenchida e assinada por um parente de primeiro grau e testemunhas;
  • Cópia do CPF e do RG do falecido;
  • Cópia da certidão de casamento ou de nascimento do falecido.

Cremação em caso de morte não natural

Já para o falecimento decorrente de morte não natural ou violenta, será necessário apresentar documentos específicos para autorizar a cremação do corpo. É preciso comprovar que o corpo já foi periciado e liberado pela polícia e pelo médico do Instituto Médico Legal (IML). Acompanhe abaixo:

  • Atestado de óbito assinado por um médico legista;
  • Autorização de cremação assinada por um parente de primeiro grau, testemunhas e com firma reconhecida em cartório;
  • Autorização judicial, com declaração do delegado de polícia responsável pelo inquérito e do IML, autorizando a cremação;
  • Boletim de ocorrência;
  • Cópia do RG, do CPF do falecido e do membro da família que autoriza a cremação;
  • Cópia da certidão de nascimento ou de casamento do falecido.

A escolha do crematório

Sabemos que na hora da despedida de um ente querido, outra decisão importante para tornar o momento menos burocrático e doloroso é escolher uma funerária especializada para fazer a cremação.

Há mais de 40 anos no mercado, o Grupo São Judas Tadeu oferece tanto assessoria para providenciar a documentação necessária, quanto o serviço de cremação. Sem dúvida, a experiência do grupo faz com que promova um acolhimento todo especial e cercado de muito respeito à família e aos amigos do falecido.

Vale lembrar que a cremação elimina túmulos ou gavetas no cemitério, que geram cuidados e despesas. Igualmente deixa-se de pagar a taxa de manutenção, já que as cinzas podem ser guardadas de outras formas. Uma verdadeira economia.

Além da cremação no crematório São Judas, a empresa oferece assessoria para cuidar de toda a documentação exigida neste processo, urna padrão para guardar as cinzas e cerimônia de despedida. E até velório online se assim a família desejar

Memorial São Judas Tadeu

O Grupo também oferece um espaço todo especial para que os familiares e amigos possam viver os momentos de luto com respeito e atenção.

O memorial São Judas Tadeu é destinado à preservação da memória de quem partiu. Trata-se da última homenagem à memória dos que faleceram, em um ambiente reservado.

Além do espaço físico, o Grupo oferece às famílias um cerimonial de homenagem. Esse cerimonial é todo construído com os familiares, que reúne as memórias da pessoa falecida para que seja feita uma homenagem de despedida. Sem dúvida, esse tributo fortalece o legado deixado pela pessoa querida que já cumpriu sua missão na terra.

Conheça agora o plano de cremação com várias vantagens e diferenciais oferecidos pelo Grupo São Judas Tadeu.

Preencha com seus dados para baixar este material: