Saiba como vivem as novas gerações

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Seja para se relacionar melhor ou para compreender certas atitudes de pessoas queridas, é preciso entender como funciona a cabeça e como vivem as novas gerações. O que pensam sobre impermanência e novos conceitos de família? O que realmente interessa ou não aos mais jovens?

Responder a estes questionamentos não é tão simples. Há muito tempo, as transformações culturais e afetivas ocorrem de forma cada vez mais rápida, influenciando o modo como as pessoas se comportam e buscam entretenimento. A evolução de certos conceitos caminha paralelamente a estas mudanças.

Toda mudança gera desconforto e tensão, pelo menos enquanto não se entende o que será alterado exatamente e quais as consequências disso para as pessoas. Por isso, a nossa proposta de que você conheça um pouco mais sobre como vivem as novas gerações e como lidar com elas, minimizando conflitos.

Afinal, quais as diferenças entre as gerações?

Alguns princípios e formas de agir devem ser lapidados para que possamos conviver bem em sociedade. Por que isso dá tanto trabalho? Porque estamos falando de seres humanos, valores, convicções, sentimentos e emoções. Fatores que não podemos mudar do dia para a noite.

Cada pessoa é única e por mais que ela faça parte de pequenos e grandes grupos o tempo todo, enfrenta de maneira própria as mudanças e as evoluções. É natural que uns sejam mais conservadores e outros mais resilientes. Mas, uma coisa é certa: a resistência atrapalha bastante.

Certamente você, interessado em compreender como vivem as novas gerações, já deve ter lido sobre os vários tipos de gerações: os baby boomers, geração X, geração Y, gerações Z e W.

Relações interpessoais, inovação, desafios, sobrevivência, ansiedade, criatividade, traumas e a dor da perda são questões que permeiam todos estes perfis, independentemente da época que nasceram.

O que muda conforme o tempo passa é a forma de lidar com a vida. É a maneira como estes e outros temas são gerenciados por cada faixa etária. E, principalmente, como se negocia para se chegar em um consenso. Sem o que fica praticamente impossível ter harmonia em uma comunidade.

Como vivem as novas gerações?

A tecnologia faz total diferença na vida dos mais jovens. Muitos deles não conseguem nem imaginar como era tudo sem um celular na mão, por exemplo. Os recursos digitais, por um lado, melhoraram a comunicação e, por outro, dificultaram os diálogos olho no olho.

Os hábitos das novas gerações são reflexos do imediatismo pelo qual se tem acesso à informação e ao conhecimento. Isso faz com que crianças, adolescentes e jovens tenham uma série de características bem particulares. E com potencial para gerar conflitos, discussões intermináveis e angústia de todos os lados.

As novas gerações preferem computadores, smartphones e tablets do que livros. Estão em todas as redes sociais ao mesmo tempo e dominam a linguagem de internet e afins. Compartilham vídeos, fotos e informações, inclusive os mais pessoais e íntimos com uma rede de pessoas, na qual a maioria é formada por desconhecidos.

Elas são movidas pelo novo e as mudanças fazem parte da vida e assim são vistas e vivenciadas. Diferentemente dos mais maduros que, muitas vezes, viram as mudanças em suas vidas como ameaça e não como oportunidades.

Tudo ao mesmo tempo e agora

Quer ver alguns exemplos? Se você tem filhos, netos ou alunos já deve ter percebido como eles não veem problema em famílias menos tradicionais, como duas mães e um filho. Ou um marido para três mulheres. Em vez de se espantarem, no máximo vão comentar: “cada um é cada um!”

É comum também que eles tenham uma relação diferente com a natureza e a ecologia. São mais adaptáveis aos produtos sustentáveis e chegam a dar aulas sobre o assunto aos mais velhos.

Não têm paciência para ficar em um mesmo lugar por muito tempo. Mas têm habilidade para trabalhar, ouvir música, se exercitar e fazer parte de uma discussão online, simultaneamente.

Receita para você lidar com tudo isso? É simples e não mudou de geração para geração. Busque ter conversas francas e diretas, valorize a diversidade de opiniões e de pensamentos e coloque amor, aceitação e respeito mútuo em primeiro lugar nas suas relações.

Se você quer saber como proteger sua família, leia nosso artigo sobre a importância do planejamento.

Você e sua familia vivendo com tranquilidade

Já conhece o Plano São Judas Tadeu?
Deixe seus dados que entraremos em contato com você, para tirar suas dúvidas.